domingo, 25 de setembro de 2011

DESABAFO

"Na fila do supermercado o caixa diz uma senhora idosa que deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não eram amigáveis ao meio ambiente. A senhora pediu desculpas e disse: “Não havia essa onda verde no meu tempo.” O empregado respondeu: "Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com nosso meio ambiente. " ... "Você está certo", responde a velha senhora, nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes. Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões. Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas. Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como? Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plastico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar. Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade. Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lámina ficou sem corte. Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou de ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima. Então, não é risível que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época ?Anna Rhoden ( autora do texto )
Tenho recebido este texto diariamente através de email.
No Facebook ele já foi postado e compartilhado.
Ao enviá-lo para o grupo de mães o qual pertenço,o grupo Futuro do Presente ,ele foi postado em um blog de uma das mães e ficamos curiosas em saber quem havia escrito.
Cheguei a pouco de viagem e checando meus emails,vi que a Silvia Düssel Schiros ,que também pertence ao nosso grupo,encontrou a autora do texto.
A Anna Rhoden ,escreveu este texto e não sei por que ,as pessoas ao reenviarem as mensagens,tiram o nome do autor do trabalho.
Fica aqui o texto e o nome da autora.
Beijocas
Monique

11 comentários:

✿ chica disse...

Um texto maravilhoso e CLARO que deve ser REPASSADO com os créditos à AUTORA>

Lindo mesmo! beijos,tudo de bom,chica

shan-Tinha disse...

a plastificação e mecanização de quase tudo contribuiu para esse mundo que estamos vivendo, tomara consigamos ou consigam que ficar mais tempo, tornar esse mesmo mundo mais sustentável, mais humano e mais simples, tomara!

Cacá - José Cláudio disse...

Oi, Monique!
A ganância e o cresimento da população, bem como o consumismo desenfreado levaram-nos a ficar brigando geração contra geração, mas na verdade, a culpa por tanta degradação tem que ser mais bem dividida. As indústrias no meu entender estão no topo da lista.

Eu li este texto ontem em um blog e a pessoa postou como se fosse ela a autora.

Muito bom! Um abraço. paz e bem.

Cancer de Mama Mulher de Peito disse...

Que lição de vida e sabedoria.
Junto com toda preocupação em se ter um planeta mais sustentável, vem sempre aquela frase.
Será que nós estamos formando filhos melhores para esse planeta?
Bjs.
Wilma
www.cancerdemamamulherdepeito@blogspot.com

Graça Tristão disse...

Olá Monique! É uma verdade para ser pensada e repensada, quando meus filhos eram pequenos as fraldas descartáveis já existiam mas os preços lembro-me muito bem que eram bem caros e hoje encontra-se em qualquer lugar diversas marcas e com preços bem irrisórios e alguém, hoje em dia "pensa" em usar de pano e lavar?!? Bom, isso é só um exemplo como a própria autora relata tantos fatos... minha mãe foi do tempo que tirava água de poço para tudo, pois não tinha água encanada... é amiga, realmente vale uma reflexão!
Paz e Luz
Bjcas
Graça

Mimirabolante disse...

Oi,pessoal.....é muito bom ver quantos amigos que tenho e que estão antenados com todos estes problemas em relação ao Meio Ambiente.....
Lamento estar com problemas no pc e ainda não conseguir visitar voces que gentilmente aparecem por aqui !!!!
Quanto a autoria do texto,realmente é muito comum certas coisas se " perderem " quando reencaminhamos.....voces se lembram do saquinho de lixo de jornal????Foi assim tbm.....foi falado,falado e só depois de muito tempo a autora da proeza apareceu e eu tbm tive a oportunidade de comentar por aqui........Mil beijocas bem mimirabolantes a todos vcs.....Bom domingo....

Catarina disse...

Este texto é fantástico:)
É incrível pensar que não há muito tempo isto acontecia, eu ainda me lembro da maior parte destas referências (as fraldas de tecido e não descartáveis, as garrafas de vidro devolvidas às lojas, ir a pé para a escola, as roupas passando de irmão para irmão, para primo, as canetas recarregáveis!!!!...).
Tornou-se absurdo a utilização do plástico, da electricidade, de todos esses recursos, que - supostamente - nos dão mais conforto, mais que destroem a nossa querida Mãe Natureza.

Bjs

Su disse...

Mimi, genial esse texto, vou repassar sem dúvida, com o nome da autora!

Beijos e uma ótima semana!

Su.

Mimirabolante disse...

Obrigada Catarina e Su......colocações super importantes.....bjcas

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Simplesmente perfeito o texto!!!!! E hj em dia as pessoas nem se esforçam para não consumir tantos plasticos e eletricidade...aqui em casa secadora de roupa é no inverno quando a roupa não seca depois de 2 dias ou quando precisamos urgente de uma peça de roupa que está molhada, caso contrario é secar no sol ou no vento..desligamos tudo das tomadas, inclusive o microondas quando não esta ocupado..relogio no micro? Mas existem tantos pela casa...enfim, se quisermos podemos sim ser sustentaveis, basta a gente sair da zona de conforto. Bjuss

Mimirabolante disse...

Valeu Fernanda......bjcas